divagações concretas concretudes abstratas

e um copo vazio está
cheio de ar

2.9.08

da série: contos eróticos desplugados

insana
por que de poetas e loucos...


tava calor.o ar tava quebrado.
a cama fazendo um rangido do caralho
eram quase três. janela aberta por que dava pra ver umas estrelas
um som gostosinho no ouvido.riacho correndo na porta
na tevê tinha um show do rolling stones
da cama saía fumaça
ela cabelo despenteado, ele suava em bicas
ela olhos fechados, dentes trincados com um biquinho, ele mão no peito dela
ela olhos fechados, ele embaixo ficava adimirando a cara de tesão
ela toda em gemido.ele todo em ouvidos
ela e ele num outro lugar.um não ali
ela quase e querendo.ele esperando a.simbiose perfeita
o interfone interrompeu:
bom dia, aqui é da recepção.é que os outros hóspedes estão reclamando do barulho.
- barulho?
-(sem graça)é





2 comentários:

ana maria disse...

você escreve como se você estivesse vivendo, ou ja tivesse vivido isso...
quase um diário de bordo sexual.

gosto muito!
parabéns

tatá. disse...

não ana maria
claro que tem coisas que a gente vive e nos inspira.
nesse caso é tudo criação da minha imaginação maluca.

obrigado pela visita
volte mais vezes

eu?

Minha foto
to correndo.sempre pressa.meio atrasado.ligação perdida.olhar atento.desculpa o atraso.to indo embora.quer carona?aqui desse lado,aqui..assim mesmo.meu fluminense e meus desejos.um beijo do seu.eu aqui em qualquer lugar aqui, espaço pra vazão a idéias. ficção criando uma verdade pseudo pessoal. "eu quero uma verdade inventada"

leia me

outras divagações


[alter]ego marginal

quantas?

free counter