divagações concretas concretudes abstratas

e um copo vazio está
cheio de ar

30.9.08

DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA DEUS EX MACHINA DEUSEXMACHINA DEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUSEX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUSEX MACHINADEUS EX CHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUSEX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUSEX MACHINADEUS EX MACHINA
EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEU SEXMACHINADEUSEX MACHINADEUS EX MACHINADEUSEX MACHINA
DEUS EX MACDEUS HINADEUSEX MACHINA DEUS EX MACHINA DEUSEX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUSEX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUSEX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUSEX MACHINADEUS EX MACHINA
DEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINADEUS EX MACHINA

29.9.08

Poeminha a gaúcha


ela é
essa menina
uma maria
dona guria
e
a mania que aparece de
não viver sem esse beijo
enchendo a vida de magia
um pouco de agonia
um muito de alegria
um tanto de tudo

que as vezes não rima
.
vontade de te apertar
apertar,sabe? apertar!
depois fumar você,inteira
e aí me entorpecer de você
divagar sorrindo na névoa
desse ópio que é o teu beijo




_nostalgia

28.9.08

video um clichê pra lembrar de mim:uma música pra ouvir se a saudade insistir.uma música pra ouvir quando chover.um filme pra lembrar que.um dia.um pedacinho de nada sem açúcar. um vídeo babaca de quem era o.uma música pra rir e debochar.uma carta sem assinatura.uma borracha azul e vermelha.um soluço que não sai.um grito que emudeceu.um soco na boca do estômago.a boca seca.o frio na barriga de esperar. uma mentira de verdade. um livro sem a primeira página. a volta de um lugar qualquer.isso que tá acontecendo agora,isso.essa vontade de não saber mais.essa folha do caderno voando. uma música pra jogar fora depois.uma parte do meu gozo.o berro na janela,um palavrão.um vídeo pra lembrar dos meus escritos.um vídeo pra desistir de insistir. uma golfada de idéias.um trago no cigarro.uma ferida com pus e sangue.a primeira pessoa.o último capítulo.um celular sem bateria e sem mensagens. um poeta sem inspiração.o pneu da bicicleta da academia.a vontade de matar a anacarolina.queijo quente e café com adoçante. carne crua.um filme pra vida inteira.as letras vão subindo. o fim se faz necessário.essa vontade incontida de chorar.o orgulho de não deixar.um dia de sol na guerra.and so it is.um amor de clichês.todas as cartas rasgadas.um boné verde.o peixe que não quer ser comido de pauzinho.pimenta,raiz forte e tesão. todos as madrugadas insones. todas as músicas do chico.uma coisa que não tem nome. que foi foda. essa saudade que bate na porta do teu quarto.essa cama fria. esse beijo incompleto. uma volta do ponteiro. um cachorro fudendo uma almofada. o suor frio. a alergia.a dor.uma música pra ficar.uma laranja cor de tangerina.e caiu do pé.ficou cinza.um pedido de desculpa.uma carta de adeus.

começo a conhecer-me.não existo.
sou o intervalo entre o que desejo ser e os outros me fizeram,
ou metade desse intervalo,porque também há vida...
sou isso enfim...
apague a luz,feche a porta e deixe de ter barulho de chinelos no corredor
fique eu no quarto só com o grande vazio de mim mesmo.
é um universo barato.


fernando pessoa.



:
uma palavra
suja
a palavra caída
na sarjeta
a palavra escarrada,
fraturada
a palavra pingando
sangue,suor e saliva
a palavra que retorna
ao fundo do poço
a palavra que ficou velha e
renasceu
a palavra que
não completa a frase
quando criança,ouvia os adultos falarem que viver era uma coisa muito difícil
e na minha peraltice(adoro essa palavra)infantil,
entre uma bola cruzada e um polícia e ladrão
achava que não seria possível aquilo:
- viver é difícil ?né nada. toca a bola jason, porra!

corta

em casa vendo um filme, a idade chegou de repente
nem bateu na porta, saiu entrando e disse trinta
o tempo passou e numa chuva cinza
chorava copiosamente. e não era pelo filme
sem saber o motivo,
entre soluços sós, falava baixinho ao travesseiro:
- difícil essa vida. e por que ?
por que ?





0088
_
e assim criou-se novo verbo
de um jeito que não se pode expressar
com toda propriedade de já querer uma borracha
obsoleta se não tem lápis
então aperta o botão e segura:


deletar é o verbo
adicionar, outro novo
querer é antigo
esquecer se faz preciso
991-é delete mesmo!

27.9.08

tem o eterno
tem infinito
e tem o além dos além

do filme estamira de marcos prado
dos malefícios de lembrar

[quarto de hotel. interior.dia]

- eu vejo de outro jeito
- sempre
- que bom né?
- as vezes
- chato
- chato?
- ja te falei que seus olhos são lindos?
- já
- eu sei,quis repetir
- de que jeito você vê?
- eu tenho facilidade de esquecer.isso é bom.
- tu acha?
- posso te esquecer daqui a cinco minutos
- eu não
- a tua memória te trai,ta vendo?isso é ruim
- eu vejo de outro jeito
- sempre
- chata
- de que jeito você vê?

corta.


[buteco.exterior.noite]

- lembra de mim?
- eu sei que a gente se conhece, só não lembro de onde
- então prazer de novo
- prazer
- a gente se conheceu no bailinho
- é verdade
- você tava de vestido preto.tava linda
- nossa.boa memória hein.eu não lembro como você tava vestido
- você não tem boa memória
- é né? sei lá
- isso não é ruim, é?
- vou pensar sobre isso.seus olhos são lindos
- suas amigas tão te chamando
- a gente ja ta indo.eu falei que seus olhos são lindos
- eu ouvi.fiquei tímido
- ficou ?
- vou pegar mais uma. saidêra
- tá. só mais uma então
- você também
- o que?
- tem os olhos lindos


corta.



:
.conta gotas
(e a vontade de calar)


o poquinho que ainda restava
da coisa que era lancinante
se esvai até na lembrança

aos poucos]

a torneira da pia mal fechada
esse pinga pinga constante aqui no ouvido




desconforto]


toma coragem,levanta da cama,
fecha a torneira e volta a dormir





:
o acaso vai me proteger enquanto eu
andar distraido








:

25.9.08


as vezes invisível
as vezes rinoceronte verde
e pouca sabedoria pra equalizar
:

24.9.08

cuidado pra não cair do trapézio
(e o céu nem sempre está azul)
.
e por mais que eu escreva que não
sempre acho que existem as coisas eternas
me nego a acreditar antes de vivê-las
prefiro acreditar que esse agora pode(e vai) ser diferente
e aí]
o tempo implacável me mostra seu peso:
elefante cinza voando por cima da lona do circo
que nem gaivota que criança desenha em papel branco
a qualquer momento o elefante pode cair?
pior.
a qualquer momento o elefante pode voar pra outro circo
levando a ultrapassada eternidade pra outros céus,
me comprovando meus escritos de descrença e contrariando um bobo romantismo infantil que ainda insisto.
mas o tempo também tem o peso do bem te vi
voando

voando

voando
voa
me fazendo de novo sorrir
e mais uma vez achar que o bem te vi vai cantar afinado
.pra sempre

dois quintanas

o artista não deve explicar-se
o artista deve expressar-se
.
Aprender português pela gramática é tão absurdo como aprender a dançar por correspondência.aprende-se a escrever lendo, da mesma forma que se aprende a dançar bailando
.quintana

23.9.08

poeminha escatológico

o velho na sabedoria dos oitenta anos e na insuficiência de perceber:

- puta que pariu,errei

pensei que era um peido,

me caguei



aproxime-se

se eu disser que sei
sou pretensioso
se eu disser que não sei
sou burro
se eu disser talvez
sou misterioso
se eu não disser nada
sou marrento
se eu disser sim
sou permissivo
seu eu disser não
sou dificil
se eu disser qualquer coisa
vou ser alguma coisa,
nos olhos de quem me olha distante
:

22.9.08

foi muito triste.
ele viu o cachorro morto no meio da siqueira.
com as vísceras expostas,
urubus comiam como num rodízio
aquilo causou uma coisa que ele nunca experimentara.uma sensação de abandono.
solidão e sol a pino.
a vida seguia plena. carros e metrô.gente de óculus e bolsas penduradas.o sol não perdoava, não parava de brilhar
era sábado no rio e a praia tava cheia.

enfim,um ônibus chegou no ponto final


:

20.9.08

I.

aprenda a circular

pode ser bom pra você daqui a pouco

II.

deu no fantástico que quem se isola tem mais chances de morrer com problemas de
circulação.
portanto,
circule







:
um ângulo q nunca tinha te visto
(por que tem horas que não dá pra pular do avião)



é noite.20:23.rádio ligado baixinho.am

- eu tenho q aproveitar q você ta aqui pra te sacudir!
- to devagar hoje.pára de me balançar
- mas eu gosto tanto.deixa?deixa?
- pé
- sujo!
- um ângulo q nunca tinha te visto
- a sola do meu pé!pronto
- é
- agora você já viu tudo.mas em geral meu pe é limpo,hoje q ta sujo
- tem gente q adora pé né ?
- eu não,detesto pé
- também não
- a começar pelo nome.pé!acho uma palavra feia.só é melhor q suvaco
- pelo menos rima com fé
- é um ponto de vista legal
- cavaco
- horrivel também
- fala uma palavra q você gosta
- hummm.várias
- ja falou duas
- duas?
- humm e várias
- talvez é uma palavra linda
- você é talvez
- sou
- narcisa
- não implica.chato
-ta
- eu não sou narcisista
- é sim, mas isso não é ruim
- não sou.e isso é ruim

- ta.preciso ir senhorita
- vai chato.e é senhora
- gosto de verdade de você,não é só isso
- é sim
-o que?
- é só isso.ja saiu?

18.9.08

o cigarro aceso no cinzeiro, era o quinto se não me engano.
as unhas já tinham sido todas roídas
o barulho dos carros atrapalhava as idéias,
um zumbido no ouvido assustou o pensamento.
esperava ansiosamente
voltava a fumar depois de cinco anos.
sauva lento e só.
o telefone tocou e ele correu pra antender.
- sou eu. to aqui
as lágrimas caíram sem que ele pudesse esconder. a voz da filha era tudo que ele queria ouvir.
desilgou o telefone emocionado, foi tomar banho.
sequestro fake,ufa
o encontro é algo raro.
e de vez em quando acontece
e aí]
não raro,
encontram-se
:

17.9.08

forró?

achei engraçado que ela me chamou pra dançar
dançamos a primeira
achei engraçado que ela me chamou pra dançar
dançamos a segunda
achei engraçado que ela me chamou pra dançar
dançamos a terceira, quarta e a quinta.
abre parenteses
e olha que os ritmos eram os mais variados.
e como nosso bailar era lindo. as outras pessoas ficavam olhando como que admirando o casal que dançava valsa. o corpo dela se encaixava no meu com uma precisão quase cirurgica.mão direita na cintura apertando forte, mão esquerda com mão direita.cabeça encostada no ombro.volta e meia os olhos se cruzavam
fecha parenteses
na próxima dança eu tomo coragem e digo a ela as minhas verdades - pensei
to indo embora, amanhã acordo muito cedo - ela me disse.
pô, logo agora que eu ia te falar umas coisas. eu to louco pra beijar você - pensei, mas dizer mesmo, só disse:
- tá. então tchau



e nunca mais dançaram nem uma valsinha

:

16.9.08



.ingredientes
2 ovos
1 pitada de sal
1 fatia de presunto
2 fatias de queijo
Temperinho verde a gosto
Caldo de galinha a gosto



.modo de preparo
Pegue os 2 ovos e bata, pode ser na batedeira ou não, após ter batido bem coloque-o na frigideira já untada com óleo, após ter colocado na frigideira coloque o sal, o presunto picado em quadradinhos e as duas fatias de queijo, não precisa picar o queijo.
coloque os temperos a gosto, espere ficar firme, e vire-o.
Está pronto, um omelete delicioso, você pode colocá-lo dentro do pão, como pode comê-lo junto da comida ou algo escolhido.
bom apetite.




é que não dá pra fazer omelete sem quebrar os ovos

veja o vídeo.depois desça a barra de rolagem

sabe quem ta vindo aí?


video















.dia doze de outubro.domingo.feriado.tb dia das crianças.idéias.coisinhas.novos olhares.som.dj(s).rodrigo penna.vivorio.entre e fique a vontade.entre pra si mesmo

bailinho.

15.9.08

cerveja e amendoim japonês

a plenos pulmões no meio da sala:

"é hoje.
vô ficá que nem jogo de paciência
facinha facinha
paciência de computador, hein porra!"


_clarice rocha. vulgo:samantha.
noite.é calor.suor. garafa de cerveja e amendoim japonês

:
no meio de uma tempestade
no destempero do não sei o que fazer
ali no final da rua

molhada de chuva e choro
medo e água salgada
desesperada no fim de uma sexta feira
centro da cidade. cerveja e toma a saidêra,pô.

bêbada, chuva e a menor expectativa de um sorriso
ou de sol
tinha bebido com os amigos da empresa. depois de ver um amigo
derrubar três churrasquinhos de gato, saiu correndo. deixou dez reais e na mesa e
correu.
na rua do carmo, parou no meio da rua,
da chuva e das impossibilidades
chorou sozinha na chuva.
sozinha na vida também - pensou - eu no meio desse temporal, de joelhos e nem um filho da puta vem aqui me perguntar se ta tudo bem

ja não adiantava mais derramar
ja não fazia mais sentido transbordar assim


depois de uma grande respiração pra abrandar o choro pensou:
- que merda, essa rua não passa carro.


ajeitou o cabelo, abriu o guarda-chuva e tomou o rumo do metrô.
queria uma sopa bem quentinha
em casa


:

14.9.08



"o sujeito que diz tudo que sabe
fica besta"



do filme o fim e o princípio de eduardo coutinho



:

12.9.08

um filme pornô ou a eterna busca

video_videoperformance

:

Já lhe dei meu corpo, minha alegria
Já estanquei meu sangue quando fervia
Olha a voz que me resta
Olha a veia que salta
Olha a gota que falta
Pro desfecho da festa Por favor
Deixe em paz meu coração
Que ele é um pote até aqui de mágoa
E qualquer desatenção, faça não
Pode ser a gota d'água
Deixe em paz meu coração
Que ele é um pote até aqui de mágoa
E qualquer desatenção, faça não
Pode ser a gota d'água
Já lhe dei meu corpo, minha alegria
Já estanquei meu sangue quando fervia
Olha a voz que me resta
Olha a veia que salta
Olha a gota que falta
Pro desfecho da festa Por favor
Deixe em paz meu coração
Que ele é um pote até aqui de mágoa
E qualquer desatenção, faça não
Pode ser a gota d'água
Pode ser a gota d'água
Pode ser a gota d'água




gota dagua.
de chico buarque e paulo pontes
em cartaz no centro cultural veneza de quinta a domingo.
av pasteur,184 botafogo
recomendo muito


_ela tava tão assim que
qualquer bom dia tava deixando a menina
um tanto umedecida










:

um plasil,por favor

e tudo que causava mais medo hoje respirou
aquele negócio que apertava o coração e cegava o bom senso
o que antes era aquela coisa passional e por que não dizer dramática,
enfim
calmaria no mar e céu de brigadeiro
sim,as vezes ainda, o olhar me trai,
o estomago embrulha, dá um pouco de asco. náusea mesmo,mas
nada que um bom plasil não resolva





:

9.9.08

ingenuidade ou sabedoria?

pronto
dar nomes aos bois:
aquele mais pretinho é o juca
aquele malhado ali é o catraca
aquele mais magrinho ali é o gerson
aquele mais babão ali é o ulisses
aquele mais faminto ali o tavares
aquele ali é o pedro
aquele ali é o getúlio
aquele pretão ali é o jair
aquele touro é o robson
aquele outro do lado dele é o pinóquio
aquele perto do branco é o alcemar
aquele perto daquele outro ali ta vendo, é o rochinha
aquele é o rafael
aquele ali ó, junto com aqueles três malhadinhos são irmãos: joão, matehus e paulo
aquele pertinho deles parece que é primo,o eduardo
tem o joca
tem o aristeu ali ó
tem também o eli que ta la dentro
tem mais o beterraba, o cleison e 0 peter que tão com a veterinária
e aquela vaca ali? -
pergunta o possível comprador ao capataz
aquela ali é a que faz o serviço andar.perpétua, o nome dela, doutor
e como ela faz pra conseguir com tanto boi assim?
ah doutor, sabe como
é mulher né?!

7.9.08


.warhol
ela é raiz forte
ela é carne crua

ela não é virgem nem do ouvido,
eu vi, ela tem a orelha furada

ela é igual parabéns pra você,
todo mundo canta

ela é e ela,sabedoria sim, escolhe isso
sabe das coisas da vida,
ah sabe




:

da série: contos eróticos desplugados



sabe aquela música do cazuza?
ou aquela outra dos los hermanos





só pra situar:
praia.manhã.velhinhos pra lá e pra cá. pessoas comprando côcos. ciclistas com capacetes.senhoras fazendo o que o doutor mandou: caminhar é bom,dona maria augusta!
ele e ela,bêbados:

- ja é manhã
- é, eu sei
- sabe aquela música do cazuza?
- sei
- então
- bota a roupa e dá uma batida no tênis pra tirar a areia.
- grosso!
-pensei numa piada
- não fala, eu imagino
- (risos)e veiudo
- péssima
- desculpa, não podia perder a piada
(pausa)
- você gosta de mim?
- hãn? gosto
- fala a verdade.você gosta de mim?
- gosto. gosto...
- não gosta...
- tá, eu não gosto de você mas tenho um puta tesão você
(silêncio)
- é só tesão então?
- (carinhoso)não, eu gosto de você
- então diz que gosta de mim.quero ouvir,diz
- eu gosto de você
- gosta mesmo?
- gosto. gosto sim, mas gatinha, tira essa areia do tênis,quebra essa


só pra situar o agora: acabam dormindo in gorete city!

:
muleque garoto inocente
muleque garoto mimado
muleque,criança que se passa a mão na cabeça


não tenta
não espirra
é maior que você a parada,garoto
segura teu bonézinho, coloca o rabo entre a pernas e fecha a cara
sinceramente, papo de irmão,corre atrás
tenta
faz o melhor que puder, meu conselho
tenta de novo
e mais uma vez,
só por que depois o quas quas quas
não vai tardar
aqui, dormindo serena e falando te amo

e pra tu muleque, garoto mimado,
meu sorriso cínico e mais uma coisa:

VAI TOMÁ NO CÚ!




num enche a porra do saco e vai brincar
com teu bomba patch novo

:

5.9.08

da série: contos eróticos desplugados



o cinco cinco cinco da rua são cristóvão
e todas suas histórias



o cara não tava acreditando naquilo.
as duas deitadas na cama, uma de cada lado.
depois de todo aquele circo elas estavam dormindo,como duas anjas(se é que existem anjas)
o cara olhava pro espelho do teto meio que duvidando daquele momento, acendeu um cigarro.
de repente um braço veio procurando o abraço dele.
sim, uma das meninas queria dormir em concnhinha, olha isso
e a outra como por instinto se encaixou juntando os três corpos exaustos
tava bom demais pra ser verdade, mas era
depois de todo aquele circo, os três dormiram juntos, em concha,
como se fossem um só
o cara pensava minutos antes de pegar no sono:
depois de todo esse circo, ainda um poquinho de romance e sonho.
apagou o cigarro, tirou enfim a camisinha, sorriu e
adormeceu no cinco cinco cinco da rua são cristóvão


:

a partitura manchada de café e passado

é que no peito dos desafinados também bate um coração
:
1.a sensação de uma nota que não completa o verso
a letra, jogada em cima da mesa, inacabada
a partitura manchada de café e passado
arrebentada uma corda do violão
e se você pensar: não tem mais jeito,
improvise-me
desafine-me
ou então, por favor, me devolve meu cd do cartola
2.a musica ainda não parou de tocar no meu ouvido
talvez nunca pare,martela crua e seca aqui
"eu queria te dar um presente,uma coisa que só eu pudesse te dar.uma música,
mas não sou músico, não sei fazer música. roubei uma pra você"
e se essa música já não faz mais eco no teu peito,
desafine-me
não improvise-me
e por favor,me devolve minhas músicas do chico
3.aquelas que um dia foram tuas e minhas
e hoje são tocadas por outro violão
talvez com todas as cordas,e
toda certeza, mais afinado que o meu
e se meus poemas também não te dizem mais respeito,
desafine-se
que eu aqui
impriviso-me
4.ah, pode ficar com o meu cd do zeca baleiro

repete 1 e 2


:

enquete científica

eu quero um punhado de verdades,

( ) mas cada um tem a sua, portanto nenhuma
( )mas é muito dificil dizer verdades na selva
( ) mas mentiras sinceras tão me interesando mais
( )mas falar verdades hoje em dia está obsoleto





querendo, pode responder a enquete la no rodápé do blog

da série: contos eróticos desplugados



na hora agá,me beija!
beijos.e os milhares de momentos




horas de movimentos pélvicos
ambos suados
movimento em aceleração extrema
barulho do contato, da batida do corpo com corpo
ela gemia e se contorcia de tesão: Vou gozar! vou gozar!
tremendo-se toda pedia em desespero:

- me beija agora! me beija!
me beija, vem

é desse beijo que to falando,desse momento
esse beijo!



:

4.9.08

em breve

manual prático de poesia pra degustação
(uma performance.um recital.um improviso)

prólogo
venho sendo seguidamente acusado de só escrever poesias pra comer mulher.pois bem, o que poderia ser uma imensa crítica se transformou em idéia.


capítulo 1: a poesia pra degustação

continua...

3.9.08

porra, ondié que estão aquelas propagandas eleitorais engraçadíssimas ?
esse horário político ta virando novela do manoel carlos.
excelentes pais de família, políticos de trato manso e civilizados
familias unidas: esposas e filhos orgulhosissímos do chefe da casa
homens com o passado de realizações e vitórias, tudo com muita elegancia e um cabelo bem penteado. nossos candidatos a prefeitura,muita chatice!
todos são repetição de projetos ja conhecidos e falidos. chatos!
mas
nos candidatos a vereador. aí sim,ainda é possível rir. o humor está de volta ao nobre horário
exceto quando candidatos são presos e encaminhados pra polinter, acusados de chefiar milicias, acusados de participação em mafia de jogo de azar.
fora isso, o humor é o tom
e la onde as decisões do mundo são tomadas, eles ainda cogitam colocar no trono o pupilo do nosso darth vader de gravata e sotaque engraçado.
e tudo lá, com direito a transmissão vinte quatro horas, quase um big brother com a produção hollywoodiana
e por aqui o pré sal é proclamação de uma nova independência.
será?!
ora pipocas,
onde nós estamos?


e meu Deus, será que estamos entregues a isso ?
_só a poesia é capaz de salvar esse mundo, só com poesia
não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é possível fazer sentido. eu não: quero é uma verdade inventada
.clarice
I wish to give, to take, to make, to shake, I wanna see it happen
I want to see, to be, the one that plays the game without no fears and regrets
I want to know you, better than I know myself
I want to feel the end, and to enjoy the consequence
I'm playing the game
the one that will take me to my end
I'm waiting for the rain
to wash who I am
(x2)
I want to move, to loose, to take the grooves, and to give it all back
I want to take the time rewind, and to kick it right from the start
to be unknown and all alone, lose the kind that are behind
to start a new play by myself and to give the best I have
I'm playing the game
the one that take me to my end
I'm waiting for the rain
to wash who I am
(x4)
repito:

a imprevisibilidade é uma das maiores virtudes do homem








_

a pergunta que não quer me calar: por que?

essa virou a questão do nosso tempo. por que ator e não bombeiro ? por que passional e não científico? por que escrever coisas e não fazer análise?por que insistir e não baixar a guarda? por que eu to aqui agora escrevendo?pra quem?pro meu umbigo e mais dois ou três outros umbigos? a minha interrogação tá tão gasta que nem meu teclado quer mais. tenho de copiar e colar.e aí depois de tanto questionamento, um olhar diferente,um suspiro novo,uma surpresa,uma foto que me tira do prumo, me tira do meu eixo .

me dá de volta a sensação do frescor de simplesmente estar. e ou ser

a certeza de que é isso que sou. e sejamos todos felizes assim

sou ator,criador,passional,confuso,enrolado,escrevo coisas, copio e colo a interrogação, me atraso pra umas coisas, corro muito pra outras, crio expectativas, me frustro, choro, gaguejo,tremo, um mundo de defeitos, um quinhão de possibilidades. e beijo muito gostoso também. e o que é pior: escrevo!

poemas sim e por que não ? se algum juizo de valor me acha babaca, tudo bem, é isso mesmo.a exposição é uma forma de conversar. posso ser babaca também.posso ser curel. posso ser.

acredito no olhar e nas palavras. acredito até no que é dito na cama.acredito!

por isso escrevo,me escrevo

é assim esse espelho de me escrever.talvez todos esses e nenhum

sou pretérito imperfeito querendo virar futuro do presente

assim,apenas foleando um quintana, me vejo sorriso nos lábios e a crença que to aqui, pra acertar e errar, mas to indo, to caminhando,

coração mêi verde e idéias na panela de pressão. and let`s play baby:

quem faz um poema abre uma janela

respira,tu que está numa cela

abafada,

esse ar que entra por ela.

por isso é que os poemas tem ritmo

- para que tu possas profundamente respirar

quem faz um poema,salva um afogado

mario quintana

2.9.08

quando alguém cantar

http://www.youtube.com/watch?v=f1ADgqtU6Zs&feature=related












porém não se surpreenda

..

um carrinho com frutas



capítulo trinta e um: ultimo capítulo

in cassino




é meio cassino esse jogo,eu acho
todos preparados, vamos as apostas, fichas na mesa.
pondere bem. se precisar enganar, não titubeie.digo,não titubeie
apostar todas as fichas no preto, e a malícia de saber que ainda tem outra infinidade de vermelhos (um olho no peixe,outro no gato)
pensar de maneira metódica e ardil. frieza no agir...
medir cirurgicamente cada opção. blefar, se preciso. mesmo que pra isso você fira alguns de seus amigos de mesa.ou oponentes, sei lá
e aí sim, fazer leilão:quem dá mais?
foda-se quem você foi ou é. quem der mais definitivamente leva a baloda, digo bolada
o blefe também presente. falo que quero uma coisa, mas tenho a segunda opção.
ironia, o mundo dando voltas. como a roleta do cassino. que nem roda gigante.que nem uma bola de basquete, digo bola de basquete
e aí, no momento exato, o bote certo daquela cobra que fica em pé:
naja!, digo naja!
e
BINGO!
e na certeza do seu estou feliz,estou bem, sai sorridente porta a fora,empurrando um carrinho com frutas aparentando a maior inocência




epílogo:

como a vida é dura. e como engana

[trecho d"as três irmãs, de tchecov]




























_


ja me dizia uma ex namorada:
- um dia a máscara cai!
é, elas caem mesmo satine!
acrescento eu:e quebram!






.

da série: contos eróticos desplugados

insana
por que de poetas e loucos...


tava calor.o ar tava quebrado.
a cama fazendo um rangido do caralho
eram quase três. janela aberta por que dava pra ver umas estrelas
um som gostosinho no ouvido.riacho correndo na porta
na tevê tinha um show do rolling stones
da cama saía fumaça
ela cabelo despenteado, ele suava em bicas
ela olhos fechados, dentes trincados com um biquinho, ele mão no peito dela
ela olhos fechados, ele embaixo ficava adimirando a cara de tesão
ela toda em gemido.ele todo em ouvidos
ela e ele num outro lugar.um não ali
ela quase e querendo.ele esperando a.simbiose perfeita
o interfone interrompeu:
bom dia, aqui é da recepção.é que os outros hóspedes estão reclamando do barulho.
- barulho?
-(sem graça)é





tchau

posso te falar uma coisa?
tchau
posso te mentir em outra:
tchau
posso até dizer, olhos fechados e tudo
tchau
posso rir, mas também não
tchau
posso até nem chorar mais quando lembro um
tchau
posso enfim nem mais me importar com outras piadas sem graça:
tchau
posso enfim rir e sem que ninguém saiba, por dentro, sérin sérin
tchau
posso num impulso pegar o telefone e antes de apagar teu nome, te ligar só pra dizer
tchau
posso até nem dizer
tcahu
posso até tudo isso.ou mais, só que em silêncio:
tchau
poso até apagar essa, reescrever outras
posso até pensar:que puta babaquice,tudo!
é que tem uma hora que é preciso dizer:
tchau mesmo!
da vasta fauna de copacabana a tarde:
dois adolescentes.camisa de colégio.pinheiro guimarães se não me engano. o mais gordinho- que devia ter no máximo treze anos- falando ao amigo mais magrinho - que não tinha mais que quatorze:
- não se pode ter tudo na vida!



pensei cá com meus botões:
é, tenho de começar a não querer tudo
esse querer tudo
ah, esse querer


e
salve copa
e toda sabedoria

1.9.08

da série: contos eróticos desplugados

:



frio na barriga
mãos frias
olhos atentos
olhos fechados, agora
o beijo
mão puxando o cabelo
uma mão apertando as costas
pescoço, boca e língua
pescoço, boca e lingua
lingua,pescoço. boca!
três da manhã.frio.primavera
cerveja,vodka, cigarrrinho e sabe-se lá o quanto
e era a primeira vez olhos nos olhos
som de guitarra falando ao corpo. dançar junto!
rock and rool dizendo baixinho no ouvido:
_ vamu fudê! agora.

eu?

Minha foto
to correndo.sempre pressa.meio atrasado.ligação perdida.olhar atento.desculpa o atraso.to indo embora.quer carona?aqui desse lado,aqui..assim mesmo.meu fluminense e meus desejos.um beijo do seu.eu aqui em qualquer lugar aqui, espaço pra vazão a idéias. ficção criando uma verdade pseudo pessoal. "eu quero uma verdade inventada"

leia me

outras divagações


[alter]ego marginal

quantas?

free counter